Cabelo e autoestima

Um cabelo, bem cuidado, revela ainda mais sobre você! Seja para a sessão de fotos ou para sua vida, vale muito a pena cuidar deles e ser mais bonita ainda.

Cremes e máscaras para alisamento dos cabelos, grandes quantidades de tempo e dinheiro gastos no salão, descolorações, hidratações, botox capilar, reflexos, selagem, hidronutrição, cauterização… Será que vale tudo mesmo para mudar e “ficar linda”?

Para muitas mulheres, a resposta é “sim!”. E não é à toa, já que para a maioria, as madeixas são como a moldura do rosto, e podem tanto fazer você se sentir muito atraente, como também acabar com a sua vontade de sair de casa.
Agora você vai entender melhor como os conceitos de cabelo e autoestima estão relacionados, e entender quais são as influências que um exerce sobre o outro. Interessada? Então, continue lendo!
A autoestima 
  Tão rara nos dias de hoje, essa qualidade nada mais é do que a valorização que alguém atribui a si mesma — ainda que sob tantas imposições dos padrões de beleza —, permitindo uma confiança em suas próprias ações e pensamentos. 
Mas, muito além disso, uma autoestima equilibrada é também uma ferramenta de empoderamento pessoal, uma vez que contribui para a saúde emocional e mental de qualquer indivíduo.
E os resultados desse equilíbrio são positivos em todos os âmbitos: pessoas com uma boa imagem de si mesmas são mais seguras, não têm medo de desafios e superam os problemas com mais facilidade e resiliência.
Por outro lado, aquelas que sofrem com baixa autoestima se deixam abalar mais facilmente pelas dificuldades, sentem-se insatisfeitas em vários aspectos de suas vidas, não apresentam muita iniciativa para atividades de realização pessoal e desvalorizam a própria credibilidade.
  Os cabelos 
Durante toda a história da humanidade, os cabelos raramente foram vistos como uma simples extensão do corpo. Desde o Egito antigo, os tipos dos penteados promoviam status e eram responsáveis pelas distinções de classes sociais. 
Havia até uma relação espiritual, na qual as madeixas representavam virtudes como virilidade e força. Por isso mesmo, o ato de raspá-los, muitas vezes, é visto como a renúncia e o despojamento (como é feito com os monges, soldados e presidiários).
Um estudo global promovido pela marca Seda, chamado “A vida não pode esperar. Por que seu cabelo deveria?”, mostrou que 95% das brasileiras acreditam que os cabelos fazem parte fundamental da aparência, com o poder de transformar, instantaneamente, o visual de uma mulher. 
Além disso, sabemos que o corte, a modelagem, a cor e o comprimento dos fios podem refletir o seu estilo, e até mesmo uma ideologia. Dreadlocks, moicanos punks, black power, ou as madeixas longas e naturais dos hippies são exemplos históricos dessa realidade.
Enfim, a verdade é que os fios de cada pessoa podem abrigar uma infinidade de significados, comunicando ao mundo quem ela é. Talvez seja por isso que os admiradores da beleza adotam posturas questionáveis, e quase irracionais, em nome de um cabelo estonteante.
A conexão entre cabelo e autoestima 
  Alguns estudos apontam que existe uma ligação direta entre cabelo e autoestima. Segundo eles, se você está em paz com o seu corpo e suas características — ou até deseja mudá-las, mas já se aceita como é, acima de tudo —, terá uma personalidade mais forte. 
Sendo assim, um cabelo bonito não é apenas uma forma de se afirmar por meio de um estilo ou fornecer pistas sobre nossa personalidade. É também um fator crucial para a autoconfiança e formação da imagem que possuímos de nós mesmas.
É por esse motivo, inclusive, que quem se sente desvalorizada, sem ânimo ou com um nível baixo de autoestima tende a deixar a vaidade de lado e se descuidar das madeixas.
É o que comprova uma pesquisa recente publicada pela Svenson: 82% das pessoas entrevistadas afirmam que os problemas capilares podem influenciá-las emocionalmente, e 75% delas reconhece que isso repercute na sua autoestima, sendo capaz até de desencadear um quadro de ansiedade. 
Então, tendo em vista que os cabelos são um reflexo de nosso estilo, enquanto a autoestima se baseia no modo como nós mesmas percebemos essa imagem, não é nada difícil concluir que o desequilíbrio em um desses lados afeta e influencia o outro de forma direta, certo?
  A importância do salão de beleza 
  O cabelo é uma parte da sua produção que você nunca remove ou joga fora. E, já que você tem que conviver com esse fato todos os dias, nada mais indicado do que se sentir de bem com as próprias madeixas, não é? 
Se os seus fios já possuem um formato, cor e textura que te agradam, é importante manter o cuidado para que eles continuem saudáveis e sedosos. Por isso, a visita ao salão de beleza é importante para fazer cortes e hidratações regulares, além de receber algumas dicas para continuar linda e confiante.
Além disso, caso esteja descontente ou enjoada dos seus fios naturais, mudar o cabelo é uma alternativa inspiradora e rápida para se sentir uma pessoa diferente.
Geralmente, os cortes e tratamentos como a coloração podem ocorrer nos momentos decisivos da vida de uma mulher, em que ela deseja se reinventar. E a maior parte das transformações capilares é reversível, caso ela mude de ideia ou não goste do resultado.
Mas os benefícios de uma ida ao salão não param por aí. Ao dedicar um tempo especial para se mimar e investir na sua beleza com auxílio profissional, você ainda está trabalhando a sua autoestima!
Afinal, nada como se sentir bonita para melhorar o seu astral e atrair olhares admiradores — principalmente o seu, é claro.
Por isso, atualmente, os salões buscam atender suas clientes de forma personalizada, para atender melhor a sua vontade exaltar seus pontos fortes. Então, não deixe de procurar profissionais qualificados e de confiança se quiser um resultado bonito e duradouro.
Na página anterior separei alguns vídeos instrutivos sobre o assunto. Aproveite!
(texto do site colorbutique)

Postagens mais visitadas deste blog

Roteiro para casamento evangélico, na igreja

Vestidos de Noiva para Noivas Evangélicas

Dicas de roupas para casamento no inverno